MERCADO LIVRE? 

É com imensa honra que aceitei esse convite do Márcio e do Jean para fazer uma coluna neste Portal que é inovador.Não sou famosa, não sou Platinum, mas sou mulher, uma pessoa comum igual a todos, que tem acima de qualquer coisa uma enorme vontade de aprender e vencer.
Pensei por muito tempo no que escrever para estrear a coluna e decidi contar meu começo no Mercado Livre.
Ao contrário de muita gente, até o ano passado (2015), o Mercado Livre, na minha cabeça era um lugar que as pessoas vendiam coisas usadas e nunca sequer tinha entrado no site, acreditem.

Venho de loja física de calçados na minha cidade e a queda nas vendas estava me preocupando, quando descobri que outras lojas vendiam pelo Mercado Livre e daí... Por que não tentar? O que eu tinha a perder? Absolutamente nada. Então comecei.
Não sabia absolutamente nada. Palavras como template, mercado envios, photoshop, entre outras eram similares a grego ou tailandês. Fiz um anúncio, fiz 2 e pá... comecei a vender. É uma emoção engraçada você vender para pessoas de tão longe. Daí pensei: caramba, esse negócio vende mesmo.....
E fui correndo atrás de aprender. Qualquer informação era válida e descobri que é super gratificante tudo isso.
Quando comecei não tinha portal, grupos de whatsapp, grupo de debates e nada para me ajudar. Era eu e eu nos erros e acertos, tentando organizar loja física com estoque de mercado livre, aprendendo a aperfeiçoar os anúncios e tentando vender mais.
Tive a felicidade de ter as condições de virar líder em 4 meses, mas nem sabia direito o que era isso. Achava que só podia vender sapatos ali, mas descobri que dá para vender tudo, de brinquedos usados até importados. Abri minha mente e encontrei pessoas incríveis no meu caminho.
Hoje, um ano depois, vejo como cresci e me sinto feliz por poder ajudar as pessoas. Adoro “dar pitaco” nos anúncios dos amigos, ver os templates, ajudar nas dúvidas do dia-a-dia no grupo do whatsapp, ajudar nas primeiras vendas e também ter ajuda e ânimo quando as coisas não dão certo.
Se deixar escrevo um livro, mas o Márcio me pediu pra ser breve. Então é isso. Quero, com essa coluna, poder ajudar e ser uma voz feminina, de uma mulher que é mãe, que estuda, que tenta se superar e ajudar quando dá.

Minha dica? Não desista. O “não” a gente sempre tem, então força, foco e fé para todos e que Deus ilumine sempre o caminho de todos nós.

Obrigada e conto demais com a ajuda de todos vocês para tratarmos aqui dos assuntos mais diversos possíveis.

Vamos crescer juntos!

Por Kelly Varella.
Publicado em Junho/2016

O MEDO DA MUDANÇA

Oi pessoal, queria falar um pouco sobre nossos medos, aqueles medos que aparecem para nos derrubar, que fica buzinando no nosso ouvido quando tomamos alguma decisão.
Difícil saber o que fazer com ele, mas às vezes toma uma proporção gigante na nossa mente.
E então? Fazemos o que?
Fácil falar que uma mudança sempre pode ser positiva, fácil falar que temos que pensar que tudo vai ser melhor, mas e se???
Frases feitas existem diversas, mas descobri que existe uma coisa mais importante que todas elas: a nossa força de vontade em vencer. Essa força pode estar escondida, mas ela existe. Não é fácil, mas se for fácil também não tem graça.
Essa coluna é para poder falar como mulher, mãe, vendedora e batalhadora, para tentar ajudar naquilo que sei e tentar aprender o que não sei. Estou passando por esse momento agora. Mudança total de vida, fechando uma loja e me dedicando exclusivamente ao mercado livre e às vendas online. E quando tomei essa decisão as vendas simplesmente despencaram. Esse era o medo me atazanando.
Estou puxando lá do fundo a força de vontade, buscando novas ferramentas, pedindo ajuda a todos em quem confio para MUDAR A SITUAÇÃO. Acreditem, existe muita gente disposta a nos ajudar a enxergar o melhor de nós.
Agora comecei a aplicar tudo aquilo que estava guardado e comecei a ver os resultados. Eles só apareceram quando mandei o MEDO ficar ali guardado e comecei a buscar alternativas para acabar com ele. Tenho certeza que ele vai para de me atazanar.
Mas, não adianta ficar parado. A vida não tem controle remoto, você tem que levantar e mudar, buscar o desconhecido e se redescobrir. Pesquisar, aprender e se dedicar para que cada dia seja melhor.
Sucesso a todos e boas vendas para nós.

Por Kelly Varella.
Publicado em Julho/2016